O Anjo da Perfeição

"Casa muito pobre, toda fechada. Pessoas famintas e cansadas. Lá dentro elas competem entre si para matar os poucos animais que sobram e comê-los com pressa. A dor dos animais intoxica o ar condicionado da casa. Homens bêbados roncando e com cheiro muito ruim. Mulheres machucadas se machucando. Muito vento lá fora. Um vento bonito demais, que ninguém vê. Nesta hora do toctoctoc, estão quase todos dormindo. Toc toc toc. – a casa treme e a porta cai. Uma mulher acorda e, ainda sonâmbula, sem nem saber porque, diz: “A Nova Era ta aí.” Uma jovem que chorava sem conseguir dormir, para um pouco de chorar, respira, e enxugando as lágrimas, diz com certo orgulho e ânimo novo: “Falei pra eles que ela vinha.” Uma menininha linda, que era a mais forte de todas as pessoas dessa casa, se levanta e anuncia, com a educação espontânea das crianças que nunca pedem licença: “Pode entrar!” Entra um Anjo Azul de tanta luz que alguns pensam que é a morte. E por isso mesmo acabam morrendo. Outros não pensam nada. E sem entender, agradecem. Alguns continuam dormindo e murmuram umas reclamações. A vida dos ventos que entram na casa vai limpando o ar. É o Anjo da Perfeição. Ele se senta e brinca de água com as crianças. Ele trazia um balde de água de um rio muito bonito. A água do balde nunca acaba, e a meninada adora jogar água pra todos lados. Então o Anjo para um pouco de rir e fala. Nem todos escutam, muitos estão indignados com a situação da água estragando seus programas e gritam: “Meu computador não funcionaaa.” Mesmo assim o Anjo fala. “Quando vejo a Perfeição em Tudo, Eu Sou a Perfeição.” A casa cai. Muitos são levados pelo vento a outras histórias. Os que intuitivamente colocam a testa no chão permanecem. Ainda é de noite. Ao se levantar todos percebem que a casa estava numa floresta. Eles se alimentam de verdade pela primeira vez. É muito bonito. Agora uma beleza que se vê. Cada um é o Anjo da Perfeição também. Um bem diferente do outro. Todos, é claro, perfeitos. Profundos, sábios e vivos. Eles nadam no rio, que os limpa. Gostam de dançar. E dançam. Pedem perdão. Fazem amor pela primeira vez. Continuam cheios de energia. Tem várias casas fechadas nessa floresta, e cada um vai bater numa porta, pois querem muito amar amigos que ficaram trancados. No céu, várias estrelas dançando. Na Terra, a terra fértil. "